quarta-feira, 31 de outubro de 2012

“Estou consciente das cobranças pela população”, diz Marcus Alexandre


O prefeito eleito de Rio Branco, Marcus Alexandre, da Frente Popular do Acre, afirmou nesta terça-feira, 30, que fará uma administração com “zelo, austeridade e determinação”, quando assumir, no dia 1º de janeiro de 2013.

Em retrospecto de campanha, Alexandre afirmou no programaGazeta Entrevista, apresentado pelo jornalista Alan Rick, que “o sentimento de gratidão e de confiança” depositado em seu nome pelos 90.557 eleitores, o que representa 50,77% dos votos válidos, o responsabiliza para cuidar das 350 mil pessoas que vivem em Rio Branco.

“A ficha caiu quando vi aquela multidão me esperando lá no Arena da Floresta, logo após o fim da apuração. O sentimento de angústia, no entanto, aconteceu no momento da apuração no segundo turno”, disse o candidato, em entrevista que foi ao ar na noite desta terça-feira, na TV Gazeta, logo após o telejornal Gazeta em Manchete.

O candidato afirmou que está ciente de que será exigido pela população, “mas temos que estar preparados para as cobranças e já estou sendo cobrado. Agora mesmo, antes de vir aqui, estava no terminal urbano ouvindo as reivindicações e lá recebi cobranças”, afirmou o prefeito eleito.

Ele diz que terá uma relação de diálogo aberto com o Governo do Estado e com a presidente Dilma Roussef e fará uma administração conjunta com os partidos que compõem a Frente Popular do Acre.

“Nos reunimos com os partidos e todos os representantes deles vão acompanhar toda a transição de governo com a equipe do prefeito Raimundo Angelim. A coordenação política vai ficar com o André Kamai, que também foi o coordenador de campanha”.

Marcus Alexandre afirma que no dia 18 de dezembro já anuncia a equipe de governo. “Temos menos de 60 dias para organizar o time”, disse, sem, no entanto, citar nomes já prováveis.

“Posso dizer que até agora tem eu e o Márcio (Batista) como vice. Mas posso também dizer que os secretários que vão assumir, que esqueçam o descanso, porque a gestão será de muito trabalho, sem fins de semana nem feriados”, disse. “Uns vão ficar, outros serão novos, mas queremos pessoas ao nosso lado, principalmente, com ética, respeito e moral”.

O candidato elogiou como o prefeito Angelim vem conduzindo a cidade e afirmou que terá muito trabalho em áreas específicas como o de infraestrutura na periferia, mas conta com uma cidade saneada do ponto de vista financeiro e sem problemas com limpeza urbana, por exemplo.

“Tenho orgulho de receber a administração do Angelim, por ele ter sido o prefeito melhor avaliado, um trabalhador exemplo de honradez”, destacou.

Um das metas principais será o fortalecimento da Empresa Municipal de Urbanização, a Emurb, que trabalhar com a pavimentação asfáltica em parceria com a Secretaria Estadual de Obras, melhorando também o seu quadro funcional.

Embora Marcus Alexandre tenha um plano extenso de governo, ele afirma que é possível que seja cumprido em quatro anos. “Fizemos sete seminários para elaborá-lo e será possível sim concretizá-lo. Agora, em alguns pontos, estamos contando com a parceria do programa Ruas do Povo”.

Saúde - Na área da saúde, essa parceria com o Governo do Estado vai possibilitar a construção de novas unidades de saúde, entre elas a Unidade de Pronto Atendimento da Baixada da Sobral, a primeira de uma série que virá.

O bairro Belo Jardim também sofrerá intervenções importantes, assim como já vem sendo feito, com 104 ruas sendo beneficiadas também pelo programa Ruas do Povo.

Trânsito - Marcus Alexandre reconhece que um dos problemas que deverá ser enfrentado é o trânsito caótico de Rio Branco. “Uma de nossas primeiras medidas será ampliar o terminal urbano, adequar a malha viária aumentando também a frota (de coletivos)”, diz.

Creches - Perguntado por um participante do programa se ele implantaria uma creche na região do conjunto Laélia Alcântara, no bairro Calafate, Alexandre disse que ali serão duas. “Vamos só discutir os melhores locais”.

Cargos comissionados - O novo prefeito de Rio Branco disse que a administração municipal não tem como
 abrir mão dos cargos comissionados, em detrimento de novos concursos públicos. “Temos hoje, 5.621 funcionários, dos quais nem 10% são de cargos comissionados”, explica.

“Agora, a nossa cidade tem que avançar. A criação da coordenação dos esportes é uma delas. Não podemos enxugar, mas expandir (os cargos comissionados)”, pontua Marcus Alexandre.

Ele diz que com relação a contratos provisórios, também não poderá abrir mão de arregimentar forças de trabalho como essas, porque há trabalhadores sazonais, operários que trabalham apenas seis meses e que, caso fossem efetivos, passariam outros seis meses apenas recebendo e gerando encargos desnecessários para a administração do município.

Zona azul - o prefeito eleito de Rio Branco também defende uma ampla discussão sobre a implantação da zona azul na cidade, um conjunto de medidas para gerenciar o estacionamento, sobretudo no Centro.

Cidade do povo - As obras do Cidade do Povo, um megaconjunto habitacional para mais de 10 mil pessoas, terá vagas para pessoas que moram em áreas de situação de risco, como aquelas áreas de desmoronamentos e de alagação.

“Estivemos conversando, durante a campanha, com essas pessoas e vamos convencê-las a sair desses locais, para uma vida mais digna”.

Fonte: agazeta.net

Nenhum comentário:

R7 - Notícias do Brasil

Agazeta.Net

Band - Notícias

Band - Esporte

Notícias Bizarras

Click Jogos - Jogos Online